Cruzeiro não vai negociar Dedé com o Flamengo; investidor se posiciona

Por meio de uma nota oficial, o Cruzeiro negou que esteja em negociações com o Flamengo para uma transferência do zagueiro Dedé ao time carioca. Além disso, a Raposa deixou claro que o gupo DIS, que investiu na contratação do defensor ao time mineiro, não está exercendo pressão para sua saída, apesar dos investidores deixarem clara a posição de que uma troca de equipe seria a melhor opção para eles.

– O Dedé possui contrato com o Cruzeiro, e o Grupo DIS está completamente alinhado com a vontade do jogador e seu empresário, Magrão. Como investidores, a venda seria de nosso interesse, mas o desejo do atleta está acima de tudo – disse o advogado Roberto Moreno, em nome dos investidores.

O Rubro-Negro está disposto a pagar R$ 30 milhões por Dedé. Em 2013, o grupo DIS o colocou no Cruzeiro por R$ 14 milhões, com o time mineiro tendo 20% de taxa de vitrine. Entretanto, a Raposa é dona dos direitos federativos, que faz com que ela tenha a decisão final numa eventual negociação. A multa atual, depois de renovação de contrato do zagueiro, é de R$ 330 milhões para transferências nacionais e internacionais.

Outro fator importante e defendido pelo Cruzeiro é de que desde o dia 1º de maio de 2015, a participação de terceiros nos direitos econômicos de atletas foi vetada. Contratos de jogadores renovados a partir desta data fazem valer tal norma imposta pela FIFA.

Confira a nota do Cruzeiro

“Em razão das inúmeras matérias veiculadas em sites esportivos, o Cruzeiro Esporte Clube vem a público dar uma resposta à sua imensa torcida sobre a situação de Dedé. O zagueiro, que tem contrato até o dia 31 de dezembro de 2021, se reapresenta nesta quinta-feira, na Toca da Raposa 2, para início da pré-temporada do Clube.

Ao contrário de notícia veiculada pelo site globoesporte.com, não há nenhuma negociação em andamento envolvendo a transferência do jogador. Há cerca de 15 dias, o Cruzeiro informou ao Flamengo que não tem interesse em negociar o defensor, que teve sua multa contratual reajustada para R$330 milhões para transferência nacional e internacional.

O Clube esclarece ainda que não vem recebendo pressão de investidores para a liberação do atleta, uma vez que a FIFA, por meio da Circular no. 1464, inseriu no Regulation on The Status and Transfer of Players (RSTP) de 2015 o artigo 18ter, vetando, a partir de 1 de maio de 2015, a participação de terceiros nos direitos econômicos dos atletas de futebol. A entidade máxima do futebol não mais reconhece esta participação em contratos renovados após essa data, como é o caso de Dedé.”