D’Alessandro resume sentimento após episódios da final da Libertadores: “Vergonha”

Argentino e cria das categorias de base do River Plate, D’Alessandro era uma importante voz a ser ouvida sobre os acontecimentos que mancharam a final da Libertadores. River x Boca sequer jogaram no último final de semana pelo vandalismo e falta de segurança promovido por torcedores na chegada da delegação xeneize ao Monumental.

O meia colorado comentou o tema em coletiva de imprensa nesta quarta-feira e se disse “envergonhado” pela situação do seu país:

“Eu também me senti envergonhado porque a gente não fala só de futebol quando acontece essas coisas. Temos que transpassar essa barreira de futebol e falar do nosso país. Queria vir falar coisa boa do meu país, que é bonito, tenho família lá, sou argentino com muito orgulho, mas hoje não tenho como falar coisa boa, infelizmente. Se vai perguntar se eu vejo melhoria, eu acho muito difícil. Se vejo que vai melhorar daqui a um tempo? Acho muito complicado”, disse.

D’Alessandro, apesar de reconhecer a crise no seu país, mostrou torcer para que a final ocorra na Argentina.

“Nossa sociedade está passando por momento difícil, econômico. Faltam muitas coisas. Isso se transfere ao futebol. Pessoal descarrega sua raiva no futebol. Temos que saber separar o torcedor genuíno do que vai bagunçar. Espero que aconteça na Argentina. O torcedor que trabalhou o mês todo para juntar peso por peso, porque o ingresso é uma fortuna, não vai ter oportunidade de ver o jogo. Esse merece. Não depende de nós, podemos torcer para o jogo acontecer, mas futebol hoje está muito falado, jogado fora das quatro linhas. Isso que estraga o nosso futebol”.

A Conmebol decidiu, nesta semana, que a final será realizada fora do território argentino no final de semana dos dias 8 e 9 de dezembro.

Deixe um comentário